Detalhes da Notícia

Prefeitura traz EISA para apresentar projeto para Machado
Prefeitura traz EISA para apresentar projeto para Machado

Com a aquisição do terreno para o novo Distrito Industrial de Machado, a multinacional EISA Interagrícola apresentou sua carta de intensão e o projeto de construção do maior armazém do mundo. O Prefeito Julbert Ferre de Morais recebeu, na prefeitura, os 13 vereadores da Câmara Municipal para apresentação detalhada do projeto e da carta de intenção. Os representantes da empresa fizeram a apresentação formal na tarde de sexta-feira, dia 04.

A EISA é uma multinacional com 168 anos de atuação no agronegócio. Tem diversos escritórios no Brasil e grande expertise no comércio e beneficiamento de café, algodão e açúcar. A empresa pretende implantar o seu primeiro armazém de café em Machado e transferir para a cidade toda a sua operação em Minas Gerais.

A empresa solicitou a doação de um terreno de 190 mil m² com investimento inicial de R$45 milhões de reais para a implantação do armazém. O empreendimento deve trabalhar com o café do tipo “commodity”, já que é o principal produto da produção local.

A construção tem previsão de dois anos de duração e a inauguração do armazém está prevista para julho de 2019. O projeto já prevê duas expansões após essa primeira fase, já que esse será o maior armazém de café da América Latina. A capacidade inicial será de 700 mil sacas por ano e geração de 80 empregos diretos, além de outros 300 indiretos. Até o final das expansões, a previsão é chegar a 1,5 milhão de sacas por ano e até 300 empregos diretos.

Para o prefeito, Julbert Ferre, o principal não é nem geração de empregos diretos, mas a qualificação que a empresa oferece aos pequenos produtores e todo o desenvolvimento que uma empresa do porto da EISA traz para a cidade. “A empresa precisa de fornecedores terceirizados, mão de obra qualificada, transporte, ou seja, a implantação gera um movimento em todo o entorno, tanto na prestação de serviços, como no comércio. Os benefícios vão muito além dos empregos diretos que ela gera”.

Por causa do interesse da EISA, outras 8 empresas também já apresentaram suas cartas de intenção para investimento no novo Distrito Industrial, localizado às margens da MG-453 (Machado / Paraguaçu) e a 3km do campo de aviação.

“Este sempre foi o local ideal para implantação do distrito industrial, próximo do campo de aviação. Com a abertura do aeroporto de cargas em Pouso Alegre, Machado pode funcionar como um ‘braço’ dessa operação”, afirma o prefeito Julbert.

Caso a doação do terreno seja aprovada pela Câmara, a Interagrícola vai encerrar as atividades em Manhuaçu, Araraguari e Varginha, centralizando tudo em Machado. Só a operação de Varginha, por exemplo, tem um faturamento de R$480 milhões de reais. A Interagrícola pretende ter toda a sua geração de renda do estado de Minas Gerais em Machado.

Este investimento será o primeiro do tipo no Brasil feito pela EISA e a empresa tem propostas de outros municípios para a sua implantação. Porém, segundo explicou João Aparecido da Silva, gerente de armazém da Interagrícola, a empresa está dando preferência para Machado porque a cidade detém os fatores primordiais para a operação: localização e produção.



Fotos da Notícia